Hospedagem em Buenos Aires por Rodrigo Carreiro


E hoje publicamos a primeira contribuição externa ao blog! Rodrigo Carreiro conta sua experiência na escolha da melhor hospedagem em Buenos Aires:

Viajar para Buenos Aires está cada vez mais fácil e barato, com muitas promoções de passagens aéreas e o câmbio altamente favorável aos brasileiros. O local, aliás, está se tornando o quintal (muito chique) da turma brazuca. Mesmo assim, é possível economizar ainda mais.

Uma boa opção é escolher hospedagem alternativa àquelas básicas, aqueles hotéis que todo mundo vai ou até alguns albergues – e eles nem são tão baratos assim. Alugar apartamento é a solução. Sim, alugar apartamento não é o bicho de sete cabeças que muita gente pensa. Em Buenos Aires essa é uma prática muito comum para turistas, até porque o país já vive uma longa crise financeira e essa é uma opção interessante para os nativos que possuem imóveis. Para nós brasileiros é ainda melhor, porque o preço é abaixo da maioria dos hotéis e a experiência de “morar” num apartamento é única: é vivência cotidiana da cidade. Além do que você ainda pode utilizar a cozinha para fazer comida e economizar em algumas refeições.

Há basicamente dois sites que intermedeiam os aluguéis: Al Sol Baires (http://www.alsolbaires.com/) e Byt Argentina (http://www.bytargentina.com/). Particularmente eu testei esse último. A Byt Argentina é tradicional, empresa com atendimento de primeira, em inglês, português ou espanhol. O site oferece um sistema de busca facílimo, com as opções para todos os gostos. Tem apartamentos simples, até studios (aqui chamamos de quitinetes), ou de super luxo, com dois andares, piscinas e vários quartos. Você escolhe, faz reserva e tira todas as dúvidas por e-mail ou chat. Claro, ainda tem o telefone como meio mais “tradicional” de comunicação. Detalhe importante: o aluguel só é feito a partir de uma semana de estadia.

O processo todo dura poucos dias. A partir do momento em que você confirma a data, a Byt te passa todas as informações de pagamento. Preste atenção: você paga uma taxa administrativa (via cartão de crédito, paypal etc.) para garantir a reserva e o restante só será pago no ato da entrega das chaves. Na ocasião, você também terá que pagar um “calção”. Pode até ser um valor alto, mas essa grana será devolvida pra você quando você for embora – e, claro, entregar o apartamento inteiro. Uma exigência chata é que o pagamento precisa ser em dollar, mas como você terá que fazer o câmbio para pesos, então é só separar o valor em real e trocar já certinho pelo dollar.

Há risco? Claro, sempre há, mas estamos falando de uma empresa conhecida no mercado argentino. É só dá uma googlada que você acha muita coisa sobre eles. Eles são atenciosos: quando você chega, um funcionário da Byt acompanha a transação entre você e o proprietário do apartamento, rola um contrato e eles dão assistência por telefone. A minha experiência foi perfeita: passei 8 dias, num prédio humilde do centro (com porteiro e ainda divide muro com o tradicional Café Tortoni), com elevador e perto de tudo. Aluguei um studio, até porque só estava com minha namorada. Mas é possível juntar mais pessoas e optar por um apartamento maior, melhor e mesmo assim não sair caro.

Rodrigo Carreiro
twitter.com/rodrigocarreiro

E se você também tem uma experiência com viagem e quer um espacinho aqui no blog, não hesite em entrar em contato! Só pra lembrar, meu e-mail é o: ninocasan@gmail.com .

Um comentário sobre “Hospedagem em Buenos Aires por Rodrigo Carreiro

  1. Marcio Melo

    Quando fui fiquei num hostel, mas esquema sucesso, quarto com cama de casal com suite tudo belezinha.

    Ficou muito barato também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *