Punta del Este: o essencial

Por Caio Barbosa: jornalista, sócio-fundador da Carambola Comunicação Integrada

Balneário dos ricaços uruguaios e argentinos, Punta Del Este fica no departamento (estado) de Maldonado. De ônibus (confortável, com ar-condicionado, banheiro e wi-fi), direto do terminal Tres Cruces, são cerca de 2 horas de Montevidéu. A passagem custa pouco menos de 300 pesos uruguaios. Fui pela empresa COT. Antes de chegar a Punta, há uma parada na cidade de Maldonado. Os desavisados podem descer, mas cometerão um equívoco, já que pelas características Maldonado é bem parecido com Punta: mansões, prédios e praias na chegada.

Transporte

Apesar das principais atrações de Punta serem concentradas na ponta da península, há muito o que fazer em outras partes da cidade. O mais recomendável é alugar um carro. Os táxis são caríssimos. Alugar bicicletas, normais ou elétricas, também são boa pedida para desbravar o local. Passei um dia, bate-volta. Queira mais! Mas, para conhecer valeu muito a pena. Certamente um destino que voltarei para aproveitar mais. Além do que, outros balneários bem próximos guardam boas surpresas para os turistas, preferencialmente no verão.

Pontos Turísticos

Los Dedos: a rodoviária de Punta Del Este fica bem próxima a principal atração do local. O famoso monumento Los Dedos ou La Mana. Admito que esperava mais. No verão (fevereiro) estava muito cheio, de perto o concreto aparece bastante, bem diferente da foto, que parece que os dedos estão literalmente fincados na areia. Mas, não deixa de ser um monumento interessante. Punta tem dois lados: Playa Brava (banhada pelo oceano) e Playa Mansa (banhada pelo Rio da Prata). No meio, uma avenida. Tudo isso fica na ponta da península.

Conrad Cassino: a alguns metros do monumento Los Dedos, é uma visita imperdível. A arquitetura surpreende, não só do Hotel Cassino como dos prédios ao redor. Modernos, altíssimos e suntuosos. Nem de longe se parecem com os balneários praianos brasileiros. É possível entrar no Conrad gratuitamente (não se sinta intimidado, entre), conhecer o cassino sem tirar fotos, ver as lojas no lobby do hotel, apreciar a sala de convenções e tirar muitas fotos do alto das escadarias. A vista é LINDA!

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Andando pela rambla, vendo os carrões e procurando uma bicicleta para alugar, encontramos um outro ponto turístico que não tínhamos ouvido falar, mas que vale super a pena conhecer:

La Vista: um mirante que reserva no 28º um restaurante giratório panorâmico incrível. A vista é deslumbrante. Vale muito a pena conhecer. O acesso custou cerca de 250 pesos. Se tiver tempo, aproveite para tomar um drink por lá.

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Porto: reserve o almoço para um dos inúmeros restaurantes disponíveis no porto. Eles são muito agradáveis, a maioria com vista-mar. Vale a pena andar pelas dezenas de barcos no pier, fotografar toda a vista de Punta.

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Casapueblo: outra atração imperdível para quem está em Punta. A 18 km do centro, o local era a antiga moradia do artista plástico e arquiteto uruguaio Carlos Páez Vilaró. Com uma arquitetura lembrando a Grécia, a Casapueblo atualmente é uma cidadela-escultura que inclui um museu, uma galeria de arte e um hotel. Está localizada em Punta Ballena. Se programe para ver o pôr do sol. Um espetáculo à parte.

Crítica: apesar do local ser lindo, as atendentes dão um show de arrogância. Atendimento péssimo, cerveja quente e falta de educação com o visitante.

Como chegar: quem estiver sem carro, vai ter que investir para chegar a Casapueblo. Táxi é artigo de luxo. Por isso, a viagem de ida e volta custa cerca de 1.500 pesos uruguaios. Existem vans que fecham um passeio ao longo do dia, incluindo parada no local, mas é preciso se programar e, certamente, sem direito ao pôr do sol.

GOPR5488

Foto: acervo pessoal Caio Barbosa

Av. Gorlero: principal rua de comércio, gastronomia, bancos, cassino, supermercados, feirinha de artesanato, entre outras atrações. É uma delícia passear por lá, ver as lojas e sentir a atmosfera local.

Restaurantes

Ártico: grande restaurante de peixes e frutos do mar junto ao porto. Parece restaurante americano de Miami: muito grande, em cima do mar, com a vista das garças e parecido um fast food, o que não necessariamente torna a experiência desagradável. As opções são as mais diversas: no menu a kilo, tem os mais variados frutos do mar como lagosta, camarões, mexilhões, polvo, além de comida japonesa. No à la carte, paella, frangos e carnes. Não tem garçom!

Churros Manolo: apaixonados por churros tem que ir lá. Não é um dos mais badalados nem mais famosos de Punta, mas certamente é um dos mais gostosos. Quentes, sequinhos, saborosos e bem recheados, os churros servidos nessa loja são de dar água na boca! Vale a pena ir ao lugar quando bater aquela vontade de comer um doce ou para fazer um lanche.

La Fusion: uma boa surpresa bem em frente à rodoviária, no começo da Av. Gorlero. Pizza artesanal, funcionários muito simpáticos, lugar reservado, atendimento e preços excelentes e a pizza melhor ainda. Vários sabores! Vale a pena conferir. O ambiente é um destaque a parte: o forno à lenha fica praticamente no salão principal, dentro uma lojinha de antiguidades e lembrancinhas dá um charme especial ao local.

Veja aqui todas as dicas de Montevidéu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *